Categorias
leituras

Como organizo meus livros

Ficção de um lado, não-ficção do outro. Não-ficção por assunto e, dentro, por sobrenome de pessoa autora. Ficção por língua original e, dentro, por sobrenome de pessoa autora.

Ontem, fiz minha primeira live no Instagram apresentando as estantes aqui de casa.

(Se ainda não me segue por lá, aproveita: @outrofobia)

Mas me dei conta de que não expliquei a organização das estantes.

Em resumo:

Ficção de um lado, não-ficção do outro.

Não-ficção por assunto e, dentro, por sobrenome de pessoa autora.

Ficção por língua original e, dentro, por sobrenome de pessoa autora.

mesinha de cabeceira hoje, clique pra ver em tamanho maior.

* * *

Os assuntos da não-ficção refletem meus gostos, leituras, projetos:

Lugares onde morei e sobre os quais já escrevi e ainda quero escrever mais:

— Cuba
— Rio de Janeiro
— Nova Orleans

Um projeto em andamento:

— Pré-História/Antropologia

Meu mestrado/doutorado:

— Escravidão
— História Brasil, Américas, Geral
— Crítica/teoria literária
— Intérpretes do Brasil (Gilberto Freyre/Joaquim Nabuco/Euclides da Cunha)

Quatro pessoas autoras:

— Freud e freudianos (Fromm, Reich, Rank, etc)
— Darwin e darwinistas (Dawkins, Dennett, etc)
— Simone Weil
— Agostinho de Hipona

Três temas:

— Capitalismo (Marx, Smith, Negri, Hinkelammert, etc)
— Escola de Frankfurt (Adorno, Marcuse, Benjamin, etc)
— Feminismo/gênero (Bouvoir, Butler, Dworkin, etc)

Duas grandes seções “miscelânea”:

— Criadores de caso, onde moram todos os grandes pensadores não-incluídos acima, como Foucault, Russell, Emerson, Thoreau, Nietszche, Hobbes, Rousseau, Erasmo, More, Montaigne, Montesquieu, Hegel, Kant, essa turma.
— Pensadores contemporâneos, para autores como Taleb, Kanemann, Bruckner, etc.

Uma seção enorme só de religiões e mitologia:

— Bíblias
— Bíblia, história
— Bíblia, crítica literária
— Judaísmo
— Misticismo/monasticismo
— Budismo, fontes primárias
— Budismo, história
— Budismo, autores contemporâneos
— Mitologia
— Outras religiões

Por fim, outros temas com menos livros:

— Biografia
— Direito
— Dicionários
— História da arte

* * *

Na ficção, tem algumas divisões temáticas:

— Graphic novels & Fumetti (Dylan Dog, Martin Mystere, etc)
— Fantasia (Tolkien, Harry Potter, etc)
— Policial (Simenon, Stout, Leblanc, etc)
— Erótico/sexualidade (Sacher-Masoch, Sade, Kraft-Ebbing, etc)

Depois, vêm as estantes separadas por idioma original da obra. Em ordem de tamanho:

— Inglês
— Português
— Espanhol
— Russo
— Francês
— Alemão
— Italiano
— Polonês
— Tcheco (só Kundera)

Por fim, uma estante miscelânea, para os idiomas com poucos livros, que são:

— Outros idiomas (sueco, norueguês, chinês, japonês, árabe, turco, grego moderno)

A maior prateleira mesmo é a clássica:

— Greco-romanos, subdividida por temas: filosófos como Platão e Sêneca, dramaturgos como Eurípedes e Ésquilo, historiadores como Heródoto e Plutarco, poetas como Homero e Ovídio, pensadores contemporâneos, como Finley e Vernant, clássicos absolutos como Gibbon, além de uma subseção sobre mitologia greco-romana.

Poesia e teatro não têm seções próprias e ficam em suas respectivas línguas.

* * *

Como organizo minhas estantes é um post no site do Alex Castro, publicado no dia 8 de maio de 2020, e que pode ser acessado na URL: alexcastro.com.br/como-organizo-meus-livros

2 respostas em “Como organizo meus livros”

Oi Alex! Como você diferencia religião de mitologia? Eu tenho uma definição simplória de que “mitologia é a religião dos outros”. Como você define essa diferença, e como você vê essa diferença sendo aplicada na sociedade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.