A maré da história

Em alguns anos ou décadas, talvez tenhamos uma nova perspectiva sobre a eleição de ontem.

Talvez a gente se perdoe.

Talvez a gente perceba que não dava para ter vencido.

Talvez a gente seja como o exército polonês em 1939, discutindo se deveríamos ter mandado a cavalaria pela esquerda ou pela direita, como se isso fosse fazer alguma diferença.

Talvez a gente perceba que estávamos na contramão de uma nova onda da História.

Mas talvez a gente também perceba que é da natureza das ondas ir e vir, que quando a onda da História está contra nós, a maior vitória é simplesmente resistir e sobreviver até maré mudar.

Porque a maré da História sempre muda.

* * *

Abaixo, um textinho do meu próximo livro, Atenção., a ser publicado pela Editora Rocco em março de 2019.

* * *

Aceitação sem conformismo

Falar em aceitar a realidade às vezes nos soa conformista, omisso, passivo.

Mas a mudança e a impermanência são condições inerentes da realidade: aceitar a realidade também quer dizer aceitar que a realidade sempre muda e que mudá-la é nosso direito, nosso dever, nosso privilégio.

Reconhecemos a impermanência de todas as coisas não para abdicar da ação política, mas para abraçá-la.

Todos os verões, centenas de pessoas se afogam nas águas frias e revoltas das praias do Rio de Janeiro.

A mais importante lição de sobrevivência em um mar perigoso como o carioca é saber que ele sempre ganha.

Se o mar quiser nos levar em uma direção, nossa escolha é ou irmos vivas ou irmos mortas: podemos lutar contra a corrente, nos afogar e ter nossos corpos levados, ou podemos aceitar que a corrente é mais forte, decidir boiar e ter nossos corpos levados.

Mas a corrente que está nos levando também compartilha da mesma natureza impermanente da realidade: em breve, ela vai se dissipar, e, nesse momento, se tivermos conseguido nos manter vivas e descansadas, estaremos livres para nadar na direção que quisermos.

* * *

Pós-escrito: Imersão do SUDESTE com desconto só até 15nov

Para preencher logo as vagas que faltam, a Imersão As Prisões: Práticas de Atenção do SUDESTE, a ser realizada em Areias, SP, entre os dias 19 e 21 de janeiro, está saindo com desconto só até 15nov: em vez de R$400, você só paga R$250!

Corram!

Inscreva-se aqui:
alexcastro.com.br/encontros/imersao-prisoes

* * *

Se você não correu e ainda está ai, o nome disso que eu acabei de fazer se chama “gatilho da escassez”: ao enfatizar o quão escasso é um bem (promoção por tempo limitado, enquanto durarem nossos estoques, etc), dá pra manipular o cérebro para consumir mais. Afinal, pode ser nossa última chance!!!!1 etc

Naturalmente, o gatilho de escassez funciona como ferramenta de vendas porque, de fato, tudo é escasso e todas de nós já perdemos oportunidades porque acabou o estoque, acabou o tempo, acabou a oportunidade.

No caso dos meus encontros, sim, eles acontecem em dias específicos e as vagas são limitadas, então, sim, muita gente já ficou de fora porque não comprou a tempo.

Por outro lado, não faz nenhum sentido eu fazer uma promoção de R$150 de desconto, porque eu JÁ dou gratuidade para quem pedir. Qualquer pessoa que queira vir pagando R$250, pode vir a qualquer momento. Inclusive não pagando nada.

Ainda assim, o encontro precisa de participantes. Entre outras coisas porque a vivência só funciona no contato entre pessoas, e porque eu preciso me deslocar até lá.

Então, se você está pensando em vir, por favor, compre logo. O desconto é de verdade e está valendo, apesar de não fazer sentido: R$250 até 15nov.

Se mais pessoas não comprarem até lá, o evento pode ser cancelado, o que seria uma pena.

Olha a escassez aí.

O link para se inscrever, se houver interese:
alexcastro.com.br/encontros/imersao-prisoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

What's this?

You are currently reading A maré da história at alex castro.

meta