A punição por falas outrofóbicas

A sociedade brasileira é machista, homofóbica, racista — em resumo, outrofóbica.

A escravidão e o patriarcado são nossos fatos sócio-econômicos fundacionais. Nossa cultura e nossa língua, nossos estereótipos regionais e nossos padrões de beleza, tudo racista, tudo machista.

A única maneira de começarmos a sair desse buraco historicamente cavado é reconhecendo nossa própria outrofobia, tanto a estrutural quanto a individual.

Porém, se a punição para a pessoa que reconhece sua fala outrofóbica for sua total aniquilação pessoal e profissional, então, ninguém mais vai se responsabilizar por seu próprio racismo, por seu próprio machismo.

A punição por falas outrofóbicas tem que existir: só não pode ser a pena de morte.

Não porque o crime não seja hediondo, mas porque isso vai desistimular outras pessoas de refletirem, admitirem, confessarem seus racismos subterrâneos, seus machismos constitutivos

O que poderia ser um processo de reflexão coletivo sobre nosso pecado original acaba se tornando uma caça às bruxas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

What's this?

You are currently reading A punição por falas outrofóbicas at alex castro.

meta