política de gratuidades

ninguém precisa pagar para vir aos meus encontros.

seria um absurdo impensável negar uma pessoa só porque ela não tem grana. seria dar importância demais à essa convenção arbitrária que chamamos dinheiro.

quem pode pagar, paga. e eu agradeço. vivo disso e não tenho outra renda.

quem não pode pagar, não paga. e eu agradeço pela oportunidade de ajudar.

na prática, as-pessoas-que-podem-pagar pagam pelas pessoas-que-não-podem-pagar e nada poderia ser mais lindo e mais justo e mais solidário do que isso.

se eu quisesse ganhar dinheiro e ficar rico, com certeza não estaria aqui escrevendo sobre verdade, religião, monogamia.

para ir de graça aos meus encontros, siga as instruções abaixo:

conte sua história

sou um escritor e me alimento de histórias. se você gosta do meu trabalho ao ponto de querer me ouvir mas não está em condições de pagar, então me fale um pouco da sua vida.

quem é você? como soube do encontro? o que houve para estar assim tão duro? quais são seus planos? acha mesmo que esse encontro pode fazer uma diferença pra você?

e eu te agradeço por compartilhar sua vida comigo.

ofereça ajuda

tem alguma coisa que você possa fazer pra ajudar? me hospedar em sua cidade? oferecer sua casa, sala, jardim, espaço, etc, para realizar os eventos? fazer divulgação entre os amigos? cavar notinhas no jornal local? etc.

essas pequenas ajudas fazem uma grande diferença e eu te agradeço muito.

mas não é um toma-lá-dá-cá. sua ajuda é bem-vinda mas você não precisa me ajudar em nada. a decisão será tomada somente de acordo com a sua necessidade.

pague adiantado

caso eu aprove o seu pedido, o próximo passo é você pagar pelo encontro normalmente pelo pagseguro. ao final do evento, você vem falar comigo, eu entro no pagseguro na sua frente e te devolvo o dinheiro.

infelizmente, das pessoas que pedem para vir de graça, 80% simplesmente não aparece. como os lugares são limitados, a cada vez que uma pessoa faz isso, ela não só está me impedindo de vender esse lugar para uma pessoa pagante como também de convidar uma outra pessoa que não possa pagar.

(outro dia, uma gratuidade desaparecida veio pedir desculpas: acabou não conseguindo encontrar uma babá. e pensei: se tivesse pago, provavelmente teria encontrado. aliás, talvez só comprasse depois de ter confirmado a babá, para não ter chance de erro.)

não dê trabalho

não mande mil emails. não peça pra ser a exceção. não jure que você vai aparecer mesmo sem pagar antes. etc. etc.

já realizei mais de 50 encontros, com mais de mil pessoas participantes, que gerenciei totalmente sozinho.

então, eu te peço, do fundo do meu coração: se quer ir de graça, tente dar menos trabalho do que as pessoas que estão pagando.

* * *

as gratuidades são todas muito bem-vindas. não quero só falar para as pessoas ricas. peço apenas que você colabore no meu projeto de não-enlouquecer organizando encontros. :)

um beijo,
do alex castro

* * *

calendário completo de encontros

Comments are closed.