do pudor

antigamente, em minha casa, camisinhas e lubrificantes ficavam na gaveta do banheiro, guardadinhos, escondidinhos, como têm que ser.

em dias de sexo espontâneo, porém, um tempo precioso era perdido correndo de lá pra cá: “corre, vai pegar a camisinha!”

moro em um quitinete. durmo em um colchão. praticamente não tenho móveis. muito menos criado-mudo.

aos poucos, as camisinhas e os lubrificantes foram passando tanto tempo ali no chão ao lado da cabeceira que esse acabou sendo consagrado como seu lugar.

no começo, sempre que recebia visitas, me batia uma lufada de pudor.

pensava: guardo tudo? ninguém precisa ver minhas camisinhas, né?

mas, logo depois, vinha a pergunta: pra quê? por quê?

transar não é nem feio nem proibido, nem anti-ético nem nojento. os objetos não estão bagunçados, largados, babados. pelo contrário, as camisinhas estão cuidadosamente eempilhadas, os lubrificantes de pé, tudo limpo e arrumado, ao lado das canetas e dos livros.

que tipo de pessoa poderia se sentir incomodada ou ofendida de simplesmente ver um frasco de lubrificante íntimo e algumas camisinhas? certamente, não o tipo de pessoa que eu gostaria de receber.

em minha casa, sempre estiveram à mostra as marcas de que fumo (cinzeiro na janela) e de que cago (papel higiênico no banheiro), de que como (garfos e talheres) e de que cozinho (panelas e frigideiras).

por que não poderiam também estar expostas as marcas de que transo?

por que seria essa, de todas as atividades humanas realizadas em minha casa, a única que precisa ser completamente escondida e negada?

* * *

pós-escrito

quando foi publicado pela primeira vez, esse texto causou muita polêmica e diversas manifestações de ódio. li e reli o texto. não encontrei nada de errado nele. pelo contrário, o assunto do texto é JUSTAMENTE essa resposta extremada e raivosa: por que o sexo é tão tabu? por que podemos deixar à mostra os objetos que usamos, por exemplo, para fumar mas não para transar? por que até mesmo falar nisso já desperta tanta raiva, tanto ódio, tanta ojeriza? afinal, por que o sexo (especialmente o sexo praticado pelo Outro) ofende tanto? se o texto levantou essas questões, então cumpriu o seu papel.