racismo reverso

uma camisa “100% branco” é de profundo mau-gosto, ao mostrar uma pessoa privilegiada celebrando seu privilégio.

uma camisa “100% negro”, por outro lado, é a celebração de uma identidade marginalizada tentando se afirmar contra todas as desvantagens inerentes no sistema.

existe uma enorme diferença.

* * *

a partir de agora, quando alguém vier me falar de racismo reverso, vou mostrar esse vídeo. tem legendas em português.

§ 2 respostas para racismo reverso

  • Alisson disse:

    Racismo reverso é o preconceito do negro contra o branco por conta de sua cor.
    Esse lance de privilégio é a maior armadilha.
    Imagine 2 jovens da mesma idade, um branco e outro negro. O negro culpar o branco por seu privilégio não seria o mesmo que o branco culpar o negro por sua mazela (no caso de o negro for de familia menos favorecida socialmente)?

    Racismo reverso existe.

  • Bruno disse:

    Ola, Alex!

    Eu estava buscando mais informações sobre o que seria de fato esse “racismo reverso”. E, ao que percebi, ele de fato não existe. O Racismo Reverso ainda depende de muitos fatores para existir, dos mais críticos, sob a minha pesquisa pessoal estão 2: a unanimidade entre sociólogos e antropólogos e, claro, estar sob a tutela da lei.
    Conforme a nossa Racismo é visto como “discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Portanto, o fato do Branco Rico e Heterossexual ser privilegiado na sociedade incluir dados de caráter social, econômico e sexual, invalida o termo “Racismo Reverso”. Então, seja do branco para o negro ou do negro para o branco, racismo é racismo e não dá margem para esse novo termo.
    O termo “Racismo Reverso” existirá concretamente quando, os sociólogos, antropólogos e a sociedade absorver como “Racismo” as características sociais que o preconceito atinge, por mais que saibamos do privilégio branco na sociedade, ele ainda não é visto assim. Por isso o que fogir de “raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” será normalmente tratado como “Crime de Ódio” no nosso país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.