o vazio que nos consome

semana passada, dividi um táxi com um famoso coach e ele deu uma dica de carreira para uma moça que estava conosco:

“tem alguma coisa que as pessoas sempre mandam email te perguntando, pedindo sua ajuda? pois, se tem, então você pode ganhar a vida com isso.”

eu fiquei caladinho, pensando nos emails que recebo.

* * *

da prisão religião:

buscar pela melhor maneira de preencher nosso vazio (com mais consumo, mais ego, mais sucesso, mais ascetismo, mais religião, mais sexo, mais livros publicados, mais curtidas no meu post, etc) apenas faz com que pulemos de alternativa em alternativa, em uma infinita insatisfação.

se o buraco não tem fundo, tentar preenchê-lo não resolve.

buraco no peito prisao religiao

* * *

uma troca de emails que travei essa semana.

pessoa leitora:

“como viver com a certeza de que não há depois? como viver sabendo que sua vida e todos os seus feitos não fazem o menor sentido? como viver uma vida sem sentido? como não se importar com o amor (ou o não amor), já que ele próprio não faz sentido nenhum? … como você consegue deixar o buraco em seu peito vazio? por muito tempo eu preenchi o meu com a presença de um deus, mas não consigo mais. tentei colocar pessoas, mas nunca deu certo. me sinto tão perdido às vezes que penso que talvez a morte seja a escolha mais racional e libertadora. tem horas que não consigo continuar, que os sonhos que tenho não fazem sentido, que os livros que ainda quero escrever não fazem sentido. tem horas que é muito difícil.”

eu:

perguntar como consigo “deixar o buraco vazio” é como perguntar como consigo deixar meu nariz assim no meio da minha cara. e eu responderia: eu não deixo nem desdeixo. o nariz É no meio da minha cara.

pessoa leitora:

“eu … queria deixar o buraco vazio sem me importar, mas sinto que as vezes o vazio que carrego é tão grande que vai me engolir.”

eu:

o vazio sempre nos engole. a questão é o que vamos fazer antes disso.

pessoa leitora:

“obrigado. de verdade. seu último e-mail me ajudou bastante. obrigado.”

§ 2 respostas para o vazio que nos consome

  • aqueleseuamigo disse:

    eu sempre penso que quando a gente olha pro inferno ele olha de volta pra gente
    e quando eu olho pro meu proprio vazio ele olha de volta pra mim
    eu nao sei quando comecei a pensa
    quando comecei a sentir
    so sei que, a Melicia tem razão
    “Antes não doía tanto…
    O tempo foi passando e foi doendo mais….”

  • Melicia disse:

    Eu observo uma coisa há tempos em relação a esse assunto…
    Antes não doía tanto…
    O tempo foi passando e foi doendo mais….
    Eu tb fui aprendendo a olhar pra mim… não sei se isso fez realçar a dor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

What's this?

You are currently reading o vazio que nos consome at alex castro.

meta