Biblía, Ilíada, Odisséia, indispensáveis

Leio e leio, releio e releio, e acabo sempre voltando aos mesmos livros: a Bíblia e a Ilíada/Odisséia.

O século XIX tem grandes romances: os que todo mundo conhece, como Moby Dick e Os miseráveis, e os mais desconhecidos, como Fortunata y Jacinta, Cecília Valdés e Manuscrito encontrado em Saragoça. (Esses são apenas os meus preferidos.)

Até o Brasil contribuiu para a literatura com algumas obras que justificariam a existência de qualquer civilização, como as dobradinhas Brás Cubas/Dom Casmurro, Água Viva/Hora da Estrela e o magistral Grande Sertão Veredas.

Mas, quanto mais leio obras de todas as culturas ocidentais, mais se confirma minha percepção de que já está tudo na Bíblia e na Ilíada/Odisséia.

Esses livros são o verdadeiro template de todas as estruturas narrativas de nossa civilização greco-romana-cristã: desde o romanção romântico até os filmes de hollywood, só fazemos reescrevê-las e retrabalhá-las.

Tudo isso é para dizer o seguinte: gosto é gosto. Vai ver você achou Moby Dick chatão e que eu deveria ter incluído Dickens ou Austen na minha lista de grandes romances do XIX. OK.

Mas eu te peço: se você é uma pessoa ocidental que ama literatura, tudo está aberto à sua escolha, mas os livros que você não pode deixar de ler são a Bíblia e a Ilíada/Odisséia.

Esses livros não são chatos. Eles são o oposto de “chato”. Eles são quase que literalmente a definição do que não é chato: eles têm mais ação, fofoca, intriga, amor, guerra, morte, horror do que qualquer blockbuster hollywoodiano — e também beleza, filosofia, sentimento, poesia, inspiração.

Se você achou alguns deles chato, o mais provável é que tenha lido uma tradução chata, antiquada, engessada, formal.

Quando se trata de livros tão antigos precisamos sempre de uma ajuda profissional para trazê-los à vida para nós.

Qualquer edição de Dom Casmurro vai trazer basicamente o mesmo texto. Diferentes edições da Bíblia ou da Ilíada, dependendo de qual texto original foi utilizado, da filosofia da tradução (literal ou dinâmica), da escolha de traduzir em verso ou em prosa, e do aparato crítico (introdução, notas, glossário), podem se apresentar como livros radicalmente diferentes.

Então, antes de ler, é preciso pesquisar um pouco qual edição utilizar.

Antes, uma explicação sobre traduções.

Toda tradução se empenha em transmitir tanto o significado quanto as palavras do texto original. Dinâmica é aquela tradução que, em casos dúbios, dá preferência ao significado; literal é aquela tradução que, em casos dúbios, dá preferência às palavras. Então, por exemplo, ler a Bíblia ao mesmo tempo em uma excelente tradução dinâmica, como a do Peregrino, e em uma excelente tradução literal, como a de Jerusalém, pode ser uma experiência literária fascinante.

Frederico Lourenço, que estará na FLIP desse ano, tem duas grandes traduções da Odisseia e da Ilíada ao português, fluentes e precisas, lançadas pela Companhia das Letras com excelente aparato crítico (introdução, mapas, notas, glossário). São as traduções que eu recomendo.

iliada cia das letras lourenço odisseia cia das letras lourenço

Também adoro a Ilíada de Haroldo de Campos, mas essa é menos acessível. Todas as outras traduções brasileiras no mercado me parecem excessivamente duras e difíceis de ler. Para quem lê inglês, recomendo muito a Ilíada de Alexander Pope (belíssima), e a Ilíada e a Odisséia de Stanley Lombardo (fluentíssimas), publicadas pela Hackett.

iliada-haroldo-de-camposiliad popehomer_iliad lombardohomer_odyssey lombardo

Além disso, o mesmo Lourenço (bendito seja) também está traduzindo ao português a Bíblia grega. (Ou seja, os textos originais do Novo Testamento e a tradução do Velho Testamento ao grego.) Já saiu no Brasil o primeiro volume, com os Evangelhos, e já saiu em Portugal o segundo, com o resto do Novo Testamento. O terceiro, com os livros proféticos, que eu amo, sai por lá no segundo semestre. Recomendo todos.

biblia lourenço volume I evangelhos

Para a Bíblia em um só volume, a minha preferida é a Bíblia do Peregrino (mais difícil de encontrar, tradução dinâmica, melhores notas literárias), seguida muito de perto pela Bíblia de Jerusalém (fácil de encontrar, tradução literal, melhores notas históricas).

biblia do peregrino Biblia de Jerusalem

Perdoem esse papo de velho literato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

What's this?

You are currently reading Biblía, Ilíada, Odisséia, indispensáveis at alex castro.

meta