A liberdade da biruta

Pergunta:

“Alex, faz sentido se esforçar tanto para controlar e disciplinar a mente? Por que tanta repressão?”

Porque, ironicamente, nenhuma mente está mais presa, nenhuma mente é menos livre, do que a mente descontrolada, refém de seus próprios condicionamentos, correndo sem rumo de um lado para o outro como um cachorro que não sabe qual carro perseguir.

A gente se autocontrola para sermos mais livres.

birutas ddf

* * *

A liberdade é muitas vezes entendida como liberdade para realizar nossos desejos, ou seja, para fazermos o que quisermos.

Mas de onde vêm esses desejos? Que desejos são esses? Eles nos pertencem? Pertencemos a eles? Somos nossos desejos? Existe esse Eu que deseja?

Talvez essa liberdade que tanto desejamos seja apenas a “liberdade” da biruta, “livre” para soprar em direção sudoeste ou noroeste, dependendo desse ou daquele vento, mas sem nunca sair do lugar.

Talvez precisemos nos libertar de nossas velhas definições de liberdade.

Talvez a verdadeira liberdade seja não uma liberdade para nossos desejos, mas uma liberdade dos nossos desejos.

Talvez a verdadeira liberdade seja não a liberdade de descobrir e nos entregar aos desejos que estão dentro de nós (quais são? de onde vieram?), mas sim a liberdade de construir novos desejos e criar quem queremos ser.

* * *

Mais sobre isso na Prisão Eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

What's this?

You are currently reading A liberdade da biruta at alex castro.

meta